Saucony Ride ISO: O equilíbrio perfeito entre amortecimento e responsividade

Autor: Fábio Lima

De enorme sucesso do outro lado do Atlântico, a Saucony continua a ser uma marca ainda sem grande expressão por terras lusitanas - e europeias no geral -, ainda que tal facto não signifique necessariamente que a qualidade não esteja lá. Bem, antes pelo contrário... E as novas Ride ISO são a prova disso mesmo.

Lançado em maio, o mais recente modelo da empresa norte-americana é o primeiro da linha Ride a receber o já característico ISOFIT (já colocado em modelos como o Freedom, Triumph, Guide ou o Hurricane), que não é mais do que um sistema de suporte e amarração do pé, que funciona quase como uma meia (à imagem do que já é feito por outras marcas). A implementação dessa tecnologia permite essencialmente que o pé esteja mais bem preso, impedindo também que se gere algum tipo de atrito e desconforto com a língua, até porque esta zona não apresenta qualquer tipo de costura. E não fosse essa mudança, que também implica alterações no design, este modelo seria o Ride 11 e não o Ride ISO. Denominações à parte, vamos lá então mergulhar naquilo que é este novo modelo da Saucony.

O 'upper'

Começando a análise pela zona superior, e esquecendo desde já o ISOFIT, o Ride é bastante respirável, o que permite aos dedos do pé 'andarem' de forma confortável e soltos na ponta. Algo que é conseguido pelo mesh tecnológico aqui em versão melhorada, que apesar de não ter grandes aberturas ao primeiro olhar, acaba por dar muita liberdade ao pé, especialmente por ser numa malha bastante fina e resistente.

A zona da língua, assim como todo o interior, é bastante almofadada, o que dá desde logo uma sensação de conforto e leveza na hora de colocar o pé no chão para correr, sendo que, por ter o ISOFIT integrado, não terá qualquer possibilidade de se mover enquanto corremos.

Na zona superior, da parte lateral, os Ride ISO apresentam o símbolo da Saucony tanto no interior como no exterior, que tal como noutros modelos é refletivo, o que pode ser importante a nível de segurança para aquelas nossas corridas noturnas. O material refletivo pode também ser encontrado no calcanhar, numa tira com o comprimento de dois dedos.

A fechar, falemos da zona do calcanhar. Ainda que seja bastante rígido e não permita qualquer tipo de flexão - pelo menos sem termos de fazer um grande esforço com os dedos -, o contraforte é bastante confortável quando temos o nosso pé dentro dos Ride ISO, o que se explica pela dose generosa de material almofadado que a Saucony aqui colocou.

A meia-sola

O Ride promete os corredores o equilíbrio perfeito entre amortecimento e responsividade, algo que se nota desde logo às primeiras passadas. E, sendo um ténis tão confortável - porque efetivamente o é -, praticamente podemos 'comer' quilómetros como se nada fosse, já que o nosso pé acaba por estar sempre envolto por uma espécie de almofada que nos permite correr sem grandes problemas. No meu caso, a primeira experiência com o Ride ISO foi para um treino de 26 quilómetros e o melhor elogio a fazer é que acabei com os pés... como novos.

Para este facto é essencial o papel da 'aliança' entre o EVERUN e o PowerFoam, que segundo a Saucony permite o retorno de até 83% da energia que absorve, concedendo desta forma um grande conforto e também uma dinâmica de corrida bastante interessante. Este modelo aposta bem mais no amortecimento do que na transição da passada, ainda que tal mudança não comprometa de todo a eficiência do calçado. O EVERUN aqui colocado é um composto mais durável e mais flexível.

Na meia-sola há ainda a realçar o FORMFIT, uma tecnologia inovadora da marca norte-americana, que tem como propósito permitir que o calçado se adapte às distintas formas do pé, com a colocação de três capas de amortecimento, que trabalham juntas para providenciar conforto e suporte ao pé durante a corrida.

A sola

A Saucony aposta no desenho TRI-FLEX, que permite ao corredor uma melhor tração e flexibilidade no momento do impacto no solo, permitindo que a passada seja mais rápida e mais natural. Na zona inferior do ténis há ainda a realçar a presença de duas placas especiais, uma na parte da frente e outra na de trás.

Na frente, na zona do dedo grande - onde se dá o último contacto com o solo -, a Saucony colocou uma peça em formato de triângulo que permite melhorar a tração para a transição. Depois, atrás, na zona do calcanhar é inserida uma placa extra em forma de retângulo, ali colocada para providenciar aos corredores que aterram de calcanhar um ponto de amortecimento e também permitirá uma mais durabilidade desta zona.

Conclusão

Primeiro modelo da Saucony que testei, o Ride ISO conquistou-me logo às primeiras passadas. Um ténis confortável, responsivo e com uma boa dose de amortecimento, que nos permite encarar aqueles treinos longos sem grandes problemas. E mesmo sendo um voltado para o amortecimento, acaba por nem ser tão pesado quanto seria de esperar para esta categoria e, diga-se, quando o temos no pé nem parece que cada um tem 275 gramas... O Ride ISO acaba efetivamente por cumprir aquilo que a Saucony promete: um equilíbrio perfeito entre amortecimento e responsividade.

São destinados para treinos diários e também para provas, sendo especialmente eficientes quando pela frente estão muitos quilómetros. Por terem a sola TRI-FLEX, permitem também treinar em condições com menor tração, sem que o agarre seja comprometido.

Dados técnicos

Peso: 275 gramas (modelo 43 masculino); 241 gramas (modelo 43 feminino)
Categoria: Amortecimento
Arco: normal
Drop: 8mm (calcanhar: 27 mm/biqueira: 19)
Tipo de passada: neutra
Preço de lançamento: 145 euros
Onde comprar: consulte a lista completa

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão