Preparar um envelhecimento saudável

Todos sabemos que o corpo humano é composto de água, entre 70 e 75%. Em média, segundo alguns artigos científicos, a proporção de água no corpo humano é idêntica à proporção entre terras emersas e águas na superfície do planeta Terra. Uma mera curiosidade. Nada relacional.

Contudo, a percentagem de água no corpo humano diminui com a idade: entre 0 e 2 anos de idade é de 75 a 80 %; entre 2 e 5 anos cai para 70 a 75%; entre 5 e 10 anos fica entre 65 a 70%; entre 10 e 15 anos diminui para 63 a 65% e entre 15 e 20 anos atinge 60 a 63%. A partir daqui temos uma fase de maior estabilidade: entre os 20 e os 40 anos esse teor de água no fica entre 58 a 60%.

A partir daqui, retoma ciclos. Entre os 40 e os 60 anos, a percentagem cai para 50 a 58%. E acima dos 60 anos, o corpo humano segue a sua desidratação. 

Assim, resumindo, se o corpo de um jovem de 25 anos contém cerca de 62% de água; o de um idoso de 70 anos contém “apenas” 53%. 

 

Vantagens de uma boa hidratação

 

Daí os nossos conselhos. Um aporte adequado de água pode reduzir a formação de pedras nos rins em 39%! Se a urina for mais diluída, mais clara, a cristalização dos sais que formam as pedras é inibida.

A ingestão de água em intervalos de tempo regulares pode ainda ajudar a diluir a bílis e assim estimular o esvaziamento da vesícula, prevenindo a formação de pedras.

Uma hidratação adequada previne a formação de coágulos ao diminuir a viscosidade do sangue, e assim reduz o risco de doença coronária em 46% nos homens e 59% nas mulheres.

Uma medida tão simples como beber mais água permite reduzir o número de quedas, tão frequente na terceira idade, porque condiciona a função cognitiva e pode provocar tonturas e desmaios.

É que no próprio corpo humano, os teores de água variam. Os órgãos com mais água são os pulmões e o fígado (86%). Paradoxalmente, eles têm mais água do que o próprio sangue (81%). O cérebro, os músculos e o coração são constituídos por 75% de água.

Uma boa hidratação contribui também para uma pele saudável porque os efeitos da desidratação são bem visíveis na face.

 

Como se hidratar

A beber água regularmente (ou através de chá e outras bebidas de sumos naturais, por exemplo) consegue providenciar a maior parte das necessidades do corpo humano, embora este absorva uma parte significativa de água através da respiração celular (14%). Outra parte ainda mais significativa de água chega através dos alimentos (39%), especialmente através dos vegetais. Vejamos alguns exemplos: alface (95%), tomate (94%), melancia (92%), couve-flor (92%), melão (90%), abacaxi (87%) e banana (74%).

 

Estar atento aos sinais

Muitas vezes, o diagnóstico de desidratação é tardio. Eis alguns dos sinais mais importantes:

- Secura das mucosas (língua, boca), que provoca dificuldade em engolir;

- Febre;

- Prisão de ventre;

- Problemas neuromusculares (como sonolência brusca, quedas, irritação, agitação);

- Perda de peso;

- Taquicardia;

- Tensão arterial baixa;

- Prega cutânea persistente (a pele não volta à elasticidade inicial depois de ser puxada).

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão