O incrível (e alucinante) calendário de Yuki Kawauchi

Yuki Kawauchi não é um atleta normal. Disso ninguém tem dúvidas. Não, não estamos a dizer que há algo de errado com o vencedor da edição deste ano da Maratona de Boston. Antes pelo contrário. O japonês, de 31 anos, continua a surpreender e impressionar tudo e todos, especialmente pelo seu calendário fora do comum para um atleta que, para todos os efeitos, é amador e que há um mês completou os míticos 42,195 quilómetros.

Mas Kawauchi é especial. E prova disso é o facto de, nas quatro semanas seguintes a Boston, ter completado cinco meias maratonas - cumpriu 105,475 quilómetros, o equivalente a duas maratonas e uma meia...! E se fazer cinco 'meias' no espaço de um mês já é um facto digno de registo, mais ainda se torna quando nas pernas teve uma maratona bastante exigente como a de Boston. Mas para o japonês isso... pouco importa.

Vamos a 'contas': Seis dias depois de Boston, Kawauchi esteve em Gifu Seiryu, onde completou os 21,095 quilómetros em 1:04.35. Um tempo nada famoso, que lhe valeu o 14.º posto. Nada abalado com essa posição, o 'citizen runner' voltou à ação uma semana depois (a 28 de abril) e venceu mesmo a 'meia' de Sato Kaeru, com 1:05:56. Sempre num ritmo impressionante, voltou à estrada na sexta-feira seguinte (4 de maio), atacando nova 'meia', a de Kasukabe Otako, onde foi segundo com 1:05.45. E como se não fosse loucura suficiente, no dia seguinte lá estava de novo numa meia maratona, agora na de Toyohirakawa, onde venceu com 1:06.39.

Depois, descansou alguns dias (provavelmente por não ter nenhuma prova para integrar no seu peculiar calendário) e só voltou à estrada no dia 13, no domingo, onde foi sétimo na Meia Maratona de Sendai, com um tempo de 1:03.41, a apenas um minuto e meio do seu recorde na distância (que data de 2012). Refira-se que este foi o melhor registo em meias do japonês desde 2015, quando fez 1:03:11 na Meia de Saitama.

Recorde-se que Yuki Kawauchi, para lá de se ter mundialmente famoso por ter vencido a Maratona de Boston, é também figura por ser um atleta amador, sem qualquer tipo de patrocínio, já que está proibido pelo governo de ter apoios externos por ser funcionário público. Uma situação que, ao que parece, mudará em 2019, ano que o japonês se tornará profissional. E aí, como será o calendário do 'citizen runner'?

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão