Mais mulheres que homens na meia de Nova Iorque

 
O dia 19 de Março ficou marcado pela realização de três das maiores e mais mediáticas meias-maratonas do Mundo: Lisboa, Milão e Nova Iorque. Por ordem alfabética e, já agora, por ordem do melhor resultado masculino. O designado “campeão”.
Todas elas foram marcantes, mas Nova Iorque voltou a evidenciar duas diferenças muito significativas em relação às restantes: maior participação geral (19412 registados no final) e mais de 50% de participação... feminina.
De facto, foram mais as mulheres (9877) que correram em Nova Iorque do que os homens (9522). Contudo isto já acontece desde 2011! Nunca, desde então, houve mais concorrentes masculinos chegados na meta que femininos! Embora, nunca tenha sido tão curta a margem como agora: 367 mulheres a mais! Venceram a prova, o etíope Feyisa Lilesa, medalha de prata na maratona dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016, com o tempo de 1:00.04 (pior que o vencedor de Lisboa), e a americana Molly Huddle (1.08.19).
Se isto já acontece nos Estados Unidos com alguma regularidade, ainda não é habitual na Europa. Vejamos, na Itália, a "famosíssima" Stramilano, a Meia Maratona de Milão, que há muito deixou de ser concorrente directa da de Lisboa, terminaram 6357 atletas, dos quais 1267 eram mulheres! Apenas 19% dos participantes chegados. Os vencedores foram os quenianos Frederick Moronga (1.01.20, muito pior que em Lisboa e Nova Iorque), em homens, e Ruth Chepngetich (1:07.42, a melhor marca nas três meias).
Já em Portugal, na Meia Maratona de Lisboa, a prova registou 10541 chegados (entre a elite e a multidão), sendo 2725 mulheres, uma percentagem de 25%, superior em 1,5% em relação à prova do ano passado. O vencedor masculino foi o neozelandês Jake Robertson que fez o melhor resultado destas provas (1:00.01) e a etíope Mare Dibaba (1:09.43)
O número das concorrentes femininos está a aumentar em Portugal mas isso ainda se verifica de forma pontual, numa ou noutra competição, como sucedeu a norte, no mesmo dia, na Corrida do Dia do Pai, que registou 3614 concorrents chegados no final, dos quais 807 eram mulheres (22%).
Num estudo realizado em Portugal, no ano passado, embora com pouca matéria de amostra (isto é resultados claramente divulgados em termos de género), a prova noturna de Santarém (Scalabis Night Run), registou uma espantosa percentagem de mulheres: 34,4%!
 

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão