Letesenbet Gidey pulveriza recorde mundial da meia maratona

24OUT 09h52

Na antevisão da corrida, a uma pergunta de Record, Letesenbet Gidey tinha garantido que ia tentar o recorde do Mundo em Valência este domingo, mesmo que esta fosse a sua primeira meia maratona. Promessa cumprida. E não só o bateu. Autenticamente destruiu o anterior. Com 1:02.52, a jovem atleta etíope, de 23 anos, roubou mais de um minuto à anterior marca, que tinha sido fixada em abril por Ruth Chepng'etich, nas 1:04.02 horas. Uma autêntica loucura!

Grande favorita a vencer a prova, a par da compatriota Yalemzerf Yehualaw - atleta que na sexta-feira soube que o seu máximo mundial não valia -, Gidey rapidamente mostrou ao que ia nas ruas valencianas e até chegou a um ponto de pedir às lebres de serviço para andarem mais rápido. Era um sinal claro do que aí vinha. Pouco depois dos 10 quilómetros deixou a compatriota para trás e não mais largou a ponta. Cruzaria a linha de meta com 48 segundos sobre Genetu Molalign e Yehualaw (1:03.51), ambas com marcas melhores do que o anterior recorde.

Com mais este máximo, a atleta etíope, que foi terceira na prova dos 10000 metros nos Jogos Olímpicos Tóquio'2020, passa a ser detentora de três recordes mundiais, já que é também a mulher mais rápida nos 5000 metros (feito também em Valência, em 2020) e dos 10000 metros - tem ainda a melhor marca da história nos 15 quilómetros.

Por outro lado, Valência consegue o pleno dos recordes na meia maratona, já que o máximo masculino também foi conseguido na prova espanhola, no caso em 2020, por parte de Kibiwott Kandie, com 57:32. Uma marca que este ano ficou longe de ser alcançada, já que o vencedor, o queniano Abel Kipchumba, cruzou a linha de meta em 58:07 - à frente do favorito Rhonex Kipruto (58:09) e de Daniel Mateiko (58:26).

Note-se que todo o top-10 masculino conseguiu acabar abaixo da barreira da hora, o que confirma a prova do país vizinho como a mais rápida do Mundo.

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão

Notícias