Clube acerta venda de jogador, precipita-se ao rescindir contrato e... acaba sem ver o dinheiro

17SET 13h10

O mercado de transferências já fechou mas continua a dar que falar no Brasil. O episódio controverso mais recente aconteceu entre o Vitória e o Athletico Paranaense. Os dois clubes chegaram a acordo verbal para a transferência de Pedrinho para a ex-equipa de António Oliveira, e o Vitória acabou por não receber o dinheiro porque decidiu rescindir contrato com o jogador... antes do acordo estar fechado.

Segundo o 'Correio 24 Horas', os dois emblemas tinham negociado o lateral esquerdo por um valor a rondar os 1,3 milhões de euros, numa transferência onde o médio Pablo Siles também faria o mesmo caminho no final da temporada, por outros 240 mil euros.

De acordo com o Vitória, o Athletico Paranaense deveria ter oficializado Pedrinho, procedendo, logo após, ao pagamento de uma primeira prestação de cerca de 500 mil euros. O restante valor seria pago em futuras prestações.

Ora, o Vitória decidiu rescindir o contrato com o jogador no dia 20 de agosto, ao chegar a acordo verbal com o clube do Paraná. Pouco tempo depois, o Athletico oficializou a transferência, alegando não precisar de efetuar qualquer pagamento, uma vez que contratou o jogador enquanto este se encontrava livre.

"Note-se que sem a concretização/assinatura do contrato de transferência e com a rescisão prematura do contrato de trabalho pelo Vitória, o atleta Pedro Henrique Azevedo Pereira ficou livre, sem vínculo desportivo, sendo contratado pelo Club Athletico Paranaense sem a realização da transferência outrora tratada pelas partes", comunicou a defesa do Athletico.

Já o Vitória, em resposta, afirmou que "desconhece os motivos para o não cumprimento do contrato celebrado entre os clubes, assim como para o não pagamento do valor ajustado", garantindo que vai recorrer à justiça para resolver o processo.

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão