Varandas diz que 2020/21 "constituiu a primeira edificação de um Novo Sporting" e justifica prejuízo de 32,9 M?

15SET 01h23

Frederico Varandas considera que a temporada passada "marcará para sempre um lugar muito especial na memória" de todos os adeptos do Sporting, não tanto pelo fim do jejum ou recordes obtidos mas sim porque "constitui a primeira edificação de um Novo Sporting."

"Na longa história de 115 anos do Sporting Clube de Portugal, a época 2020/2021 marcou, e marcará para sempre, um lugar muito especial nas nossas memórias. Porque assinala muito mais que a conquista de um novo título de Campeão Nacional de futebol, o vigésimo terceiro. Porque assinala muito mais que os recordes que nela foram superados. Porque assinala muito mais que o fim de 19 anos de uma travessia sem a conquista do principal título no futebol nacional. A época 2020/2021 constitui a primeira edificação de um Novo Sporting. Novo Sporting a que demos início em Setembro de 2018 e que, dia-a-dia, jogo a jogo, ano após ano, hoje destaco, e se destaca, em três vectores: Sustentabilidade, Competitividade e Honestidade", referiu o presidente leonino na mensagem que engloba o documento enviado à CMVM com os resultados da SAD no exercício da época passada.

Um exercício em que os leões tiveram um prejuízo de 32,9 milhões de euros, que Varandas justifica assim: "resultado direto de um contexto mundial de crise, com consequências na quebra das receitas de transação de jogadores e das receitas operacionais pela ausência de público nos estádios. Colocam-se-nos enormes desafios pela frente, mas é de enaltecer a importância do trabalho de construção de bases conseguido até aqui pois, caso contrário, não nos teria sido permitido atravessar este período."

Recomendadas

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão