Nelson Evora: «Estou com o mesmo espírito de 2008»

29JUL 09h40

Campeão olímpico de 2008, Nelson Evora chega a Tóquio como um dos mais experientes da comitiva portuguesa e é dessa experiência que irá puxar na hora de se lançar à caixa de areia no Estádio Olímpico da capital japonesa. Esta manhã, em conferência de imprensa, o atleta de 37 anos fez a antevisão da sua participação nestes Jogos Olímpicos e assegurou estar "super descontraído" e pronto para "conquistar os sonhos".

"O que posso prometer é dar o meu melhor. Estou com o mesmo espírito de 2008. Não dou importância a previsões, de este ou aquele está melhor. Aqui tudo começa do zero. Os que estão aqui partem todos da mesma plataforma, nada é impossível. Aqui todos podem conquistar os seus sonhos. Manter a cabeça serena, concentrada, a pressão é normal. Temos de jogar com tudo, é para isso que nos preparámos. Estou habituado, descontraído, super descontraído, vou entrar ali e vou dar o meu melhor, deixar tudo na pista. Seja qual for o resultado. Foi uma época difícil de preparação, era difícil viajar e competir. Provas canceladas, a planificação não batia certo... Tivemos de nos preparar em casa e o que foquei foi estar na melhor forma possível nesta data. Se tudo correr bem e passar à final, faço reset, tudo do zero e aí é fazer um salto bonito para o infinito e divertir-me ao máximo", disse o triplista, que garantiu que estes serão so seus últimos Jogos Olímpicos.

Como atleta experiente, Nelson Évora deixa um conselho aos mais jovens e aos estreantes em Jogos. "Devem manter-se focados e concentrados como já estão. Cruzo-me com eles e vejo isso. O único segredo que daria é que se divirtam ao máximo. Quando fui campeão olímpico estava sempre com o Arnaldo Abrantes e divertimo-nos imenso. Falávamos, comemos bolos, rimos muito, mas estivemos sempre concentrados para o que tínhamos de fazer. Tínhamos a nossa hora. Quando chegou o dia, para ir para a pista, estávamos saudáveis. Não dávamos importância à pressão. No dia sentimos o peso, mas temos de ir felizes, o segredo é esse. Se não formos assim, vamos angustiados, foi isso que aconteceu à Simone Biles. Tem tanta pressão e algures esqueceu-se que é para nos divertimos, que temos de encontrar a criança dentro de nós. Tivemos uma criança campeã olímpica de skate, é o maior exemplo. Ela divertiu-se a fazer o que gosta. Nós adultos esquecemo-nos disso. Temos de tirar cá para fora a criança que há dentro de nós".

Recomendadas

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão