Sporting pediu aos atletas concentração nos títulos coletivos de corta-mato

21MAR 13h58

O Sporting pediu aos participantes nos Campeonatos de Portugal de corta-mato para se concentrarem no objetivo de conquistar os títulos coletivos, masculino e feminino, revelaram este domingo os atletas do clube que venceu ambas as competições, na Amora.

Rui Teixeira, segundo classificado da prova masculina, atrás de Rui Pinto, e Carla Salomé Rocha, vencedora da prova feminina, admitiram, em declarações à agência Lusa, que os objetivos pessoais eram "secundários" e não esconderam a satisfação por terem conseguido alcançar o "objetivo principal".

"O clube pediu-nos um esforço extra, porque neste momento de grandes dificuldades que todos estamos a viver, só conquistando títulos é que o Sporting poderá manter a aposta no atletismo. Por isso, estamos todos de parabéns", afirmou Rui Teixeira, minutos após cortar a meta em segundo lugar, atrás de Rui Pinto (4 Run).

O bicampeão nacional nas duas últimas edições disputadas, em 2018 e 2019, chegou ao concelho do Seixal com a "responsabilidade acrescida" de defender os títulos e o "objetivo de fazer uma corrida digna", o que "foi conseguido" na véspera de completar 39 anos.

"O Rui [Pinto] foi mais forte, mas saio satisfeito. Para os atletas mais velhos, como é o meu caso, foi ainda mais difícil arranjar forças para não desanimar, continuar a treinar e a manter a forma. Mas tenho a felicidade de representar um grande clube e isso ajudou imenso", frisou o vice-campeão nacional.

Também a nova campeã nacional feminina, Salomé Rocha, destacou o "objetivo coletivo" das 'leoas' numa prova completamente dominada pelo Sporting, que "fez o pleno" ao colocar quatro atletas nas primeiras quatro posições.

"Estamos a falar das melhores atletas nacionais e, por sorte, estão todas no Sporting. Conseguimos fazer o pleno, o que mostra que temos grandes atletas, mas o objetivo era acima de tudo coletivo. O individual passou a ser secundário", admitiu a vencedora, que cortou a meta à frente das companheiras de equipa Sara Moreira, Catarina Ribeiro e Jéssica Augusto.

A nível individual, o novo campeão nacional, Rui Pinto, terminou "muito contente pelo terceiro título" conquistado, após bater o bicampeão nacional, Rui Teixeira, na parte final do circuito, cumprindo "um objetivo que tinha vindo a escapar" nos últimos anos.

"Já sabia que seria uma luta renhida com o Rui [Teixeira] e preparei-me bem. Não estava preocupado com a parte final. Entrei fresco nas últimas duas voltas, porque este ano corri de forma diferente. Nos outros saía 'disparado' logo no início. Talvez pela idade, a experiência tenha ajudado", comentou o novo campeão nacional, de 28 anos.

Os Campeonatos de Portugal de corta-mato voltaram hoje a disputar-se, após a edição do ano passado ter sido cancelada devido à pandemia de covid-19, mas ficaram marcados pela ausência do Benfica, que recusou participar por não serem exigidos testes de covid-19 aos participantes.

O Sporting revalidou os títulos coletivos masculino e feminino, enquanto a nível individual a prova foi ganha por Rui Pinto (4 Run) e pela 'leoa' Carla Salomé Rocha.

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão