Voltaram as corridas na Noruega e já caiu um recorde nacional

20MAI 23h05

A pouco e pouco, e mesmo num cenário de absoluta incerteza, o atletismo vai começando a ressurgir das cinzas após a paragem provocada pelo coronavírus. Depois de já termos visto inusitadas provas realizadas nos 'quintais' de saltadores e corridas virtuais um pouco por todo o planeta, esta quarta-feira assistiu-se a um marco importante na Noruega, com a primeira prova de estrada pós-confinamento. Não foi uma prova normal - bem longe disso! -, mas acaba por traduzir-se como uma luz ao fundo do túnel, que neste caso acabou mesmo por representar também um novo recorde nacional.

Sim, é verdade, mesmo em tempos de pandemia há recordes a cair... O autor da proeza foi Jakob Ingebrigtsen, o mais novo e muito provavelmente o mais talentoso dos famosos irmãos noruegueses, que esta tarde, em Stavanger, correu cinco quilómetros em 13:29 minutos (registo não oficial). Um tempo canhão, realizado num circuito de duas voltas, que o coloca provisoriamente como o terceiro mais rápido da Europa na distância - em igualdade com Julian Wanders e Mohamed-Amine El Bouajaji - e a 11 segundos do máximo de Jimmy Gressier (13:18). Para trás, no que ao recorde norueguês diz respeito, ficou Sondre Norstad Moen, com 13:37.

Nesta corrida em concreto, refira-se, Jakob levou a melhor sobre o seu irmão Henrik, que finalizou a prova em segundo lugar, com 13:32, o que coloca o mais velho do clã como o segundo do país naquela distância. Tudo isto numa prova que representava a estreia de ambos nos cinco quilómetros...

Distanciamento social e percurso aferido

À primeira vista pode olhar-se para esta corrida como um desafio particular dos Ingebrigtsen, mas a verdade é que tudo aqui foi oficial. A começar desde logo pelo percurso, que foi alvo de uma medição oficial, de forma a que o eventual recorde pudesse ser homologado. "Tivemos de ter a certeza de que o percurso estava bem medido e homologado pela federação antes de aceitarmos", declarou na véspera Gjert Ingebrigtsen, o pai e treinador dos irmãos.

Para lá do cuidado em homologar o traçado, a organização teve também a atenção para a questão do distanciamento social, fazendo com que os atletas partissem numa espécie de grelha de partida ao estilo da Fórmula 1, com cada linha a ter cinco corredores separados por um metro, seguida de várias outras também com uma distância semelhante. Dali em diante a palavra de ordem era tentar evitar o chamado 'túnel de vento' entre os corredores (supostamente estaria proibido fazê-lo), mas a verdade é que durante vários minutos Jakob e Henrik, juntamente com outros três corredores, correram de forma 'normal'.

Esse poderá ser efetivamente o grande problema no eventual regresso das provas, mas este evento na Noruega marcará certamente uma nova esperança para que este ano possam existir corridas de rua no mundo.

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão