Inês Henriques diz-se "triste e desiludida"

04FEV 21h52

Inês Henriques não demorou a reagir à decisão do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) sobre a inclusão dos 50 km marcha femininos no programa dos próximos Jogos Olímpicos por "não ter jurisdição para julgar o recurso de um grupo de atletas", justificou.

"Estou triste, desiludida e revoltada... Depois de tanto lutarmos o sentimento não poderia ser outro!
Tenho consciência que fizemos tudo o que estava ao nosso alcance, mas a justiça é algo muito relativo...", escreveu nas redes sociais a marchadora portuguesa, uma das atletas que recorreu para o TAS da decisão da IAAF em não incluir a prova em Tóquio'2020.

Mas Inês Henriques deixou uma promessa. "Não estou mesmo num bom momento, mas isto não dura para sempre!!! Depois de recuperar a minha saúde em pleno, vou voltar ao trabalho e o sonho de estar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, não fica por aqui!!!".

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão