Câmara Municipal de Oeiras aposta forte na Corrida do Tejo

Organizada pela 38.ª vez, a Corrida do Tejo volta a ser um evento no qual a Câmara Municipal de Oeiras aposta bastante. Uma aposta suportada pela importância da componente turístico-desportiva, que torna esta prova num dos eventos do ano naquele município.

A Record, Filipe Leão admite a importância da Corrida do Tejo e reforça que tudo foi feito para dar aos participantes a melhor experiência possível. Isto depois de um longo caminho de preparação, que começou no início do ano. Foram nove meses de preparação, para chegar a um desfecho que se espera positivo, para uma manhã de domingo com muita animação no trajeto entre Algés e Oeiras.

"A Corrida do Tejo é uma das corridas mais antigas e emblemáticas de Portugal. Entra na história do atletismo em Portugal, por se manter ao longo dos anos. Por outro lado, este evento foi crescendo e ganhou uma maior notoriedade. Neste momento é um evento nobre, com uma organização própria do munícipio. É um meio de atração turística a Oeiras, dada a dimensão que já atingiu. Não é só uma corrida de atletismo. No início era, mas agora tem uma dimensão e contexto, crescendo para um evento turístico-desportivo já com impacto mediático. Traz muita gente de fora. É um evento que podemos utilizar para trazer pessoas a conhecer Oeiras", começa por explicar o Filipe Leão, da divisão de Desporto da Câmara Municipal de Oeiras.

"Procuramos que seja um evento de qualidade, ser inovadores, mesmo sendo um município a organizar. Neste ano vamos em nove meses de preparação. Em fevereiro estivemos em Sevilha, na feira da Maratona. Fizemos o Tour da Corrida do Tejo, como no ano passado, mas agora com cidades diferentes. Em dois anos fomos a oito locais diferentes. É uma forma de trazer pessoas de fora à nossa prova. A intenção do Tour é sairmos da casca, conhecer as pessoas e os grupos, de forma a criarmos ligações mais fortes com grupos de outros locais", explicou.

Para lá dos pontos acima citados, Filipe Leão destaca ainda outras medidas para "ganhar pontos", nomeadamente a medalha, que no seu entender "é a mais bonita da Corrida do Tejo dos últimos anos". Já mais difícil de inovar é o percurso, até porque "a beleza paisagistica está lá" e, por isso, em equipa que ganha não se mexe. Ainda assim, o desejo para o futuro é que seja possível crescer. "Vamos subir o número de participantes, queremos fidelizar os corredores. Não é possível alguém ser de Lisboa e nunca ter feito a Corrida do Tejo", admite.

Uma Liga em crescimento

A presença da prova na Liga Allianz Running by Record também merece palavras positivas por parte de Filipe Leão, que enaltece o facto de o circuito ter apresentado várias inovações nesta sua segunda temporada. "No ano passado foi um ano zero, acho que nos conseguimos fortalecer através da LARR. Nomeadamente com outras provas, com passatempos, pois as provas podem interligar-se, já que não concorrem umas com as outras. Melhorou substancialmente, porque houve mais parcerias, conjugámos melhor. Sendo uma liga nacional, tem de crescer mais. Esta rede tem que proliferar. Para nós são boas sinergias, porque as provas não concorrem umas com as outras. Qualquer prova tem tudo a ganhar", enalteceu.

Novidades

Na conversa com Record, Filipe Leão revelou ainda que a edição deste ano da Corrida do Tejo contará com um 'balão' especial no bloco de partida +60' - composto por seis mil atletas -, onde os corredores que pretendam fazer o percurso a caminhar se podem colocar. "Vamos sensibilizar as pessoas, não vamos obrigar ninguém a colocar-se lá. Mas como muita gente vem para caminhar, até porque a prova tem um limite de 2:30...", completou.

Contacte-nos através do email: recordptrunning@gmail.com

Acompanhe todas as novidades da Liga Allianz Running by Record
 

 

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão