Asics Gel-Kayano 25: Amortecimento e conforto numa versão melhorada

Análise da autoria de Fábio Lima, escrita com base nas sensações vividas com este modelo e, por isso, aqui reproduzida na primeira pessoa.

O reencontro com um velho amigo. Foi esta a sensação que tive quando pela primeira vez calcei estes Kayano 25, a 25.ª versão de um dos modelos mais bem sucedidos da Asics (recorde a evolução desde o primeiro modelo até ao atual) e também no que a ténis de amortecimento diz respeito. É que foi com uns Kayano, no caso os 23, que fiz a minha primeira maratona (assim como praticamente toda a preparação). E por mais que mude a minha abordagem - nomeadamente a necessidade de ter uns ténis mais leves -, os Kayano vão sempre estar aqui na fila da frente como o modelo de boas memórias e com os quais me sentirei sempre confortável (desde que não mudem a fórmula, óbvio!).

Comecemos então por aquilo que já falei: o peso. Direcionado para dotar o corredor de maior estabilidade e amortecimento, o Kayano é um ténis pesado e quanto mais leves formos mais vamos notar isso na nossa passada. No meu caso, desde que utilizei os 23 (que pesavam 326 gramas) na Maratona de Lisboa perdi cerca de seis quilos, o que me faz sentir um pouco mais os 330 gramas desta 25.ª edição dos Kayano. Isto para dizer que este não é um ténis para provas rápidas, para batermos os nossos recordes. Pelo menos não foi desenhado e idealizado para tal. É idealizado para dar, conforme disse, estabilidade e amortecimento, especialmente quando falamos em provas de média e longa distância (meias e maratonas). Nessas provas, o impacto constante vai afetar-nos na postura e termos o 'auxílio' que este ténis pode dar é bastante importante.

Mesmo sendo um ténis pesado, este Kayano acaba por 'compensar' pelo incrível conforto que dá ao nosso pé (graças ao seu interior bem almofadado), tanto quando o calçamos pela primeira vez como quando vamos para a corrida propriamente dita. Sentimos de imediato uma envolvência e um conforto que nos fazem sentir bem com ele assim que o temos nos pés...

Mudanças no visual e na estrutura

CalcanharA nível visual há várias diferenças a realçar entre o 24 e o 25. A primeira que salta à vista é desde logo a identificação do modelo, que agora passa a estar atrás (antes estava na parte interna). Esta mudança implica igualmente mudanças na estrutura do ténis, nomeadamente no contraforte do calcanhar (ver imagem ao lado). Aqui neste particular - e ao contrário do que fui lendo noutras análises - não senti qualquer problema com a rigidez desta zona.

Mudanças também são visíveis no upper do ténis (sem qualquer costura), que parece dar ao pé uma maior respirabilidade. São, aliás, evidentes as diferenças a nível visual neste particular, com uma parte superior com mais aberturas, o que naturalmente fará o nosso pé 'respirar' melhor. Ainda na zona superior, a língua é mais curta e parece 'abraçar' o pé de uma forma mais natural.

Na zona da sola e meia-sola, a Asics reforçou a aposta no FlyteFoam, aqui colocado com as mais recentes evoluções, de modo a dar amortecimento com responsividade e conforto do calcanhar até ao dedo do pé. Em relação ao gel, é apenas visível na parte traseira do ténis - ali colocado com o objetivo amortecer o impacto do pé no solo e 'aliviar' a pronação -, mas isso não quer dizer que não esteja também presente na zona do meio-pé. Está lá, mas 'escondido'.

Falando ainda das tecnologias aqui colocadas em prática, a Asics aposta no Impact Guidance System (para ajudar na pisada natural), Dynamic DuoMax (providencia estabilidade e suporte), Guidance Line na meia-sola (dá eficiência na passada e estabilidade), Trusstic System ('placa' já conhecida nos modelos de estabilidade, que ajuda a absorver o impacto e manter a passada natural), meia-sola FluidRide (combina responsividade e conforto) e a sola AHAR Plus (mais durável).

E falando em durabilidade...

Por terem sido lançados no mercado no primeiro dia de junho, ainda não tive oportunidade de carregar os Kayano de muitos quilómetros, mas segundo a Asics este modelo ainda apresenta maior durabilidade que os seus antecessores. Ora, se as anteriores versões já eram incrivelmente duráveis (os meus 23 têm para cima de 1500 quilómetros feitos), então estes 25 prometem durar, durar, durar...

Conclusão

Desenhado para corredores com pronação média ou severa, este Kayano 25 mantêm a linha recente, com o conforto, estabilidade e amortecimento como grandes apostas, cumprindo de forma perfeita neste aspeto. São dos modelos mais confortáveis presentes no mercado para encarar um treino (ou prova) longo, já que ao passar dos quilómetros o seu conforto irá fazer o pé 'esquecer' o impacto constante.

Continuam, ainda assim, a ser um modelo bastante pesado (até é mais pesado do que o seu antecessor), o que o faz ser 'excluído' por parte daqueles corredores que encaram provas com objetivos bastante ambiciosos (não são ténis para provas rápidas!). Basicamente, e pegando nas palavras de Brian Metzler, do site Jack Rabbit, os Kayano 25 "não são um carro desportivo, mas sim um SUV de luxo".

Pensados, como dissemos, para médias e longas distâncias, os Kayano 25 têm 10 mm de drop (32mm atrás e 22 mm à frente) e têm um preço de lançamento no nosso mercado nos 180 euros. Sim, é um preço elevado, mas terá aqui um ténis para muitos quilómetros e com um amortecimento que fará a diferença!

Dados técnicos

Peso: 330 gramas (modelo 43)
Arco: normal
Drop: 10mm (calcanhar: 32 mm/biqueira: 22)
Tipo de passada: pronador
Preço de lançamento: 180 euros




Contacte-nos através do email: recordptrunning@gmail.com

Acompanhe todas as novidades da Liga Allianz Running by Record
 

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão