6 dicas para manter a saúde dos pés

Quem corre distâncias muito longas ou treina com muita frequência e intensidade, sabe bem que os pés merecem um cuidado muito especial. Importa perceber que, no ato de correr, são os pés que suportam toda a força que é exercida pelo corpo. Eles são os nossos amortecedores. Amortecedores que, quando não funcionam, põem tudo em causa: o desempenho vai ser muito inferior ou mesmo nulo, devido a dores insuportáveis que podem mesmo forçar um atleta a desistir.
Há, de facto, cuidados essenciais a ter com os pés na prática da corrida, sobretudo para quem corre muito. Cuidados que previnem uma série de problemas que podem nascer da intensidade do exercício conjugada com más escolhas. Escolhas que podemos controlar. Basta conhecer as regras. Ao todo são cinco.

Saber escolher os sapatos

 

Comecemos pelo início, passe a redundância: a escolha dos sapatos adequados, ou seja, de uns modelos próprios para corrida e que sejam adequados ao seu tipo de pé. Estes sapatos só devem ser utilizados para treinar e não devem ser utilizados em caminhadas ou em outras situações do dia a dia. O motivo é simples: o desgaste. Os sapatos de corrida são constituídos por uma sola que visa diminuir o impacto do amortecimento. Por isso, utilizá-lo noutros contextos, além de desnecessário, só vai acelerar o seu processo de desgaste. E quando corremos sem amortecimento, podemos lesionar-nos.
É ainda importante escolher uns sapatos confortáveis. Os pés têm de estar à vontade e não podem estar apertados, mas devem, ao mesmo tempo, estar bem encaixados nos sapatos - não pode haver o risco de os pés poderem deslizar dentro do sapato.


Trocar de sapatos com frequência

É importante estarmos atentos ao desgaste dos sapatos. Estarem gastos não significa estarem rotos. Significa que, ao terem sido utilizados muitas vezes, já têm algumas das suas funções comprometidas. É o caso da sola de amortecimento. Quando mais um atleta treinar, mais atenção deverá prestar a este aspeto e mais vezes terá de trocar de sapatos.
Dica: no dia de uma prova, nunca estrear uns sapatos novos. O pé ainda não vai estar habituado e os sapatos ainda vão estar muito rígidos. Isto pode causar dores e desconforto durante uma corrida.


 

Utilizar meias próprias de corrida

As meias de corrida são tão importantes como os sapatos. Estas deverão ser de fibra, de forma a que sequem rapidamente e que impeçam os pés de ficarem húmidos. As meias em algodão não são aconselháveis, precisamente por não cumprirem estes requisitos. Costuras também devem ser evitadas, já que causam irritação e podem causar feridas por causa da fricção. É ainda importante ter atenção ao tamanho: se forem demasiado apertadas podem magoar e causar desconforto e se forem demasiado grandes podem escorregar e andar a "dançar" dentro dos sapatos.

Cortar as unhas dos pés

 

Quando as unhas estão demasiado compridas podem romper as meias, magoar os dedos e bater na frente dos sapatos. O resultado, depois, não é bonito: unhas negras, encravadas ou até mesmo queda de unha. As unhas devem ser tratadas frequentemente: cortá-las em linha reta, aparando as pontas.

Utilizar lubrificante

Quando mais se corre, mais esta poderá vir a tornar-se numa necessidade. O lubrificante deverá ser colocado em toda a zona do pé (planta, peito, entre os dedos), não só antes das corridas, mas também antes dos treinos. O motivo é simples: previne o aparecimento de bolhas, pela diminuição do efeito de frição.

Fazer gelo

Depois de treinos muito intensos ou de corridas com distâncias muito longas é importante cumprir esta rotina, uma vez que os pés estão inchados e desgastados. Colocar os pés dentro de um balde com gelo durante, pelo menos, 15 minutos,  após uma corrida ou treino intenso, acelera o processo de recuperação e reduz o risco de inflamaçõ
 

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão