Saucony Kinvara 9: Prontíssimo a voar!

Autor: Fábio Lima

Icónico modelo da marca norte-americana, o Kinvara chega em 2018 à sua 9.ª versão, mantendo-se fiel àquilo que há quase uma década oferece aos corredores que optam por ele. Uma sapatilha leve, responsiva e com um amortecimento bastante generoso, especialmente tendo em conta o seu peso e as suas características mais voltadas para provas rápidas. Mesmo assim, a sua leveza (220 gramas) e o seu 'drop' baixo (apenas 4mm) incrivelmente não comprometem o já falado amortecimento, algo pouco visto em sapatilhas deste género.

Foi, por isso, com entusiasmo que recebi e coloquei em teste esta evolução do Kinvara, procurando perceber ao longo de vários treinos se tudo aquilo que se diz é mesmo verdade ou não passa de um mito alimentado há vários anos pelos gurus do mundo das corridas, especialmente aqueles que moram do outro lado do Atlântico, onde a Saucony é uma marca de referência. E a resposta é clara: é mesmo verdade!

Escolha dos editores da famosa revista Runner's World, o Kinvara é um daqueles modelos capaz de conquistar os corredores ao primeiro contacto e prendê-lo por muitos e bons anos. A fórmula vem sendo a mesma e pouco mudou em relação à versão do ano passado, mas para quê mexer numa equipa vencedora? Continua a ser leve (está ligeiramente mais leve do que o do ano passado) e continua a ser uma sapatilha indicada para todo o tipo de treinos e provas. Sim, todo o tipo, desde os rápidos (intervalados, fartlek) como aos treinos de rodagens. Mas avancemos para os detalhes zona a zona deste Kinvara...

O 'upper'

Olhando para a zona superior da sapatilha, a primeira nota a realçar é o visual utilizado, que no meu caso (branco, azul e preto) me parece bastante bem conseguido, dando desde logo um ar feroz e rápido quando o temos calçado. Há ainda outras versões (incluindo a mais recente White Noise), todas elas bastante bem conseguidas do ponto de vista estético (pelo menos na nossa opinião).

Muito confortável de se calçar, o Kinvara 9 não conta com o já famoso ISOFIT, ainda que a zona da língua esteja cosida de ambos os lados, o que nos garante a estabilidade do pé enquanto corremos. O interior é bastante bem acolchoado, mesmo na zona dos frontal, o que mesmo assim não o torna um modelo 'quente'. Antes pelo contrário, a zona do mesh é bastante respirável, já que apresenta uma superfície bem aberta, que deixa o nosso pé 'respirar' enquanto estamos a treinar. Apresenta praticamente as mesmas linhas de estrutura que o oitavo modelo, desde a zona frontal até ao meio, onde o mesh é substituído por um knit (malha) muito bem conseguido.

Na zona superior a Saucony manteve as tecnologias Flexfilm e Pro-Lock: a primeira permite que o 'upper' não tenha qualquer costura, mantendo o conforto, adaptabilidade e leveza do calçado; ao passo que a segunda não é mais do que um sistema de suporte dos cordões (de certa forma similar ao ISOFIT), que tem sido, segundo vários utilizadores, um dos poucos pontos negativos do Kinvara. É que, segundo algumas análises feitas, por vezes o Pro-Lock acaba por tirar a naturalidade à passada.

Nota para a língua, que está ainda mais confortável, mercê do interior que se assemelha quase a uma luva, envolvendo e abraçando de forma perfeita o nosso pé, não gerando qualquer tipo de atrito ou de desconforto enquanto temos a sapatilha calçada.

O Kinvara 9 apresenta ainda um símbolo da Saucony em ponto grande na parte externa e outro mais pequeno no interior, ambos refletivos, assim como uma tira que surge no calcanhar. Nesta zona, a finalizar, de referir que o contraforte é confortável e não causa qualquer problema no tendão de Aquiles.

A meia-sola e a sola

Se a zona superior apresenta tudo aquilo que o Kinvara tem dado aos seus fãs - e por conseguinte os tem conquistado -, a meia-sola tem o outro segredo do sucesso deste modelo: o EVERUN. Com esta tecnologia, a Saucony promete (e dá) amortecimento e um retorno de energia de 83%, permitindo que este modelo seja um dos poucos que consegue aliar estas duas realidades, por vezes tão difíceis de combinar.

Ao correr com o Kinvara o normal é sermos empurrados para a frente pela sua capacidade de responsividade, sem nunca comprometer o amortecimento necessário para poupar as nossas pernas ao impacto de cada passada. Para lá da sua responsividade e amortecimento, o EVERUN é também um composto bastante flexível, o que permite ao pé manter-se fiel à sua passada natural.

Por fim, a sola. Tal como noutros modelos, o Kinvara 9 apresenta borracha injetada nas zonas de maior contacto, como o calcanhar e a parte da frente, o que ajuda à tal leveza que falei anteriormente. Mas se ajuda na leveza, a superfície reduzida desta borracha retira alguma durabilidade a este modelo, especialmente se o compararmos a outros concorrentes. Quer isto dizer que temos de saber gerir estrategicamente a utilização deste Kinvara 9, sendo preferível que o poupemos aos treinos diários e o deixemos na prateleira pronto a atacar aqueles treinos e provas rápidas. Aí, acreditem, está a utilização mais inteligente para este modelo.

Conclusão

Tal como disse na análise feita ao Ride ISO, a Saucony é uma marca com muito sucesso do outro lado do Atlântico, onde concentra grande parte das suas vendas e dos seus clientes mais fieis. É nesse grupo que entram aqueles que utilizam o Kinvara, um modelo que a cada ano que passa mantém uma clientela fixa, o que atesta a capacidade reconhecida para cumprir aquilo que promete.

Leve, flexível, respirável, bem amortecido e com uma incrível responsividade, o Kinvara 9 é uma lufada de ar fresco para qualquer pé, permitindo fazermos os nossos tempos sem nunca comprometer a integridade da nossa passada ou do nosso corpo. O único (grande) problema que notamos acaba por ser o gasto excessivo da sola, o que ME obrigou a fazer uma gestão cuidada do seu uso (irei utilizá-lo apenas nos treinos rápidos e no teste final da preparação para a próxima maratona), até porque quero que esta seja a minha arma para atacar os 42,195 metros de outubro.

Posto isto, o Kinvara 9 é um modelo desenhado para um grupo de corredores avançado, que olha para a corrida com a motivação de melhorar os seus tempos, ao invés de o fazer por mera recriação. Se estás em busca de um modelo para conseguir os teus recordes, este Kinvara é uma opção a ter em conta, já que apresenta uma combinação estranha e pouco vista de sapatilha de competição com o amortecimento. Estas características acabam por lhe retirar aquilo que grande parte dos corredores quer: a durabilidade.

Dados técnicos

Peso: 220 gramas (modelo 43 masculino); 184 gramas
Categoria: neutro (pode ser considerada sapatilha de competição)
Arco: neutro
Drop: 4mm (calcanhar: 23 mm/biqueira: 19)
Tipo de passada: neutra
Preço atual: 135 euros

Contacte-nos através do email: recordptrunning@gmail.com

Acompanhe todas as novidades da Liga Allianz Running by Record

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão