Liderança em jogo no triplo

29AGO 04h52

Está tudo em aberto no triplo e a expectativa é enorme para o Memorial Van Damme, final da Liga Diamante, na próxima sexta-feira. E isto porque está em jogo a liderança mundial na disciplina, naquela que será a última oportunidade para se obterem grandes marcas.

Portugal estará presente com dois atletas. São eles o benfiquista Pedro Pichardo, líder mundial de 2018, com 17,95 metros e Nelson Évora, recente campeão da Europa em Berlim. Mas na discussão pela vitória e pela liderança do ranking entra obrigatoriamente para as contas o conhecido norte-americano Christian Taylor, campeão olímpico e mundial.

Trata-se do segundo melhor saltador de sempre (18,21 metros) , a seguir ao recordista mundial, o inglês Jonathan Edwards (18,29 metros em 1995) e que nesta altura figura em 2º lugar (17,81 metros) atrás de Pichardo.

Ora, é precisamente este duelo que está a levantar muito furor e como Taylor tem derrotado Pichardo nos últimos meetings pode voltar a fazê-lo. A dúvida que se levanta é se fará melhor que os 17,95 metros obtidos pelo antigo atleta cubano a 4 de maio em Doha.

A última vez que um português liderou o ranking mundial no triplo foi em 2008, quando o então benfiquista Nelson Évora obteve 17,67 metros no dia em que se sagrou campeão olímpico em Pequim. A segunda melhor marca mundial nesse ano foi para o britânico Philipps Idowu com 17,62 metros.

O nível da prova de sexta-feira em Bruxelas é muito elevado e no conjunto dos 8 concorrentes surge um grupo de norte-americanos de forte valia, liderados por Christian Taylor, a que se juntam Chris Benard, Omar Craddock e Donald Scott. O alemão Max Heb e o azeri Alexis Copello e os portugueses Pedro Pichardo e Nelson Évora completam o leque de participantes do triplo salto, cuja prova tem início às 19.47 horas portuguesas.


Pichardo é "livre" para o Benfica

A última vez que Pedro Pichardo representou Cuba foi a 27 de agosto de 2015 no Mundial em Berlim, onde foi medalha de prata. Christian Taylor ficou com o ouro e Nelson Évora com bronze.

Há dois dias completaram-se três anos, tempo que o Benfica considera como elegível para Pichardo poder ser considerado um "atleta livre", estando em condições de poder representar a Seleção Nacional.

A decisão final pertence, contudo, à federação internacional, que está a avaliar a situação de Pichardo, bem como de outros atletas.

Record sabe que o Benfica está a juntar mais documentação para a enviar para a federação internacional, através da congénere portuguesa.

TOP 10 NO TRIPLO EM 2018

17,95 Pedro Pichardo (POR) Doha 4 maio
17,81 Christian Taylor (EUA) Doha 4 maio
17,53 Almir dos Santos (BRA) Guadalupe 12 maio
17,44 Will Claye (EUA) EUA 26 maio
17,41 Jordan Diaz (CUB) Cuba 8 junho
17,40 Omar Craddock (EUA) EUA 9 junho
17,40 Chris Benard (EUA) EUA 9 junho
17,34 Donald Scott (EUA) EUA 22 junho
17,34 Cristian Nápoles (CUB) Colômbia 2 agosto
17,28 Lázaro Martínez (CUB) Cuba 4 fevereiro

Subscreva a Newsletter e receba as notícias em primeira mão